Autores nacionais,  dicas de leitura,  entrevista,  Indicações

Benditos livros entrevista – Gisele de Assis

Olá queridos leitores !

Hoje estou aqui com um projeto super especial.

Vamos conhecer mais autores nacionais?

Não é difícil perceber o quanto somos inundados pela literatura estrangeira, suas tendências e a multitude de novos autores lançados a cada ano. No Brasil, um país em que o hábito de leitura ainda é pouco incentivado, a produção literária ficcional e seus operadores sofrem com diversos obstáculos. Façam uma reflexão e pensem comigo : se, por exemplo,  a educação escolar básica sofre dificuldades aqui no país, sofrem também o desenvolvimento da criatividade humana, o estudo da língua e da nossa cultura, o incentivo à leitura e a formação de futuros escritores.  Sem o incentivo a escritores nacionais , a nossa cultura literária fica seriamente prejudicada.

Se você é um leitor atento, têm percebido que a maior parte dos autores nacionais carva  espaços de maneira independente, e encontra grandes desafios para adentrar o mercado literário formal. Por que isso acontece ? Ouvir os relatos  desses autores me pareceu importante.

Eu tive a sorte de conhecer e trocar ideias com a autora Gisele de Assis, autora da trilogia Guardiões de Orfheus. O primeiro livro dessa trilogia, “Entre o Amor e o Sacrifício”, é o livro mais vendido na categoria ficção científica/fantasia na Amazon Brasil  (clique aqui para adquiri-lo nessa plataforma),  e  foi publicado de maneira totalmente independente. Os livros nos contam a história  de um amor que atravessa fronteiras da vida e morte, da luta entre o bem e o mal, e nos apresenta aos Guardiões de Orfheus, seres míticos que protegem a raça humana das forças malignas. É uma série jovem, com linguagem atual e ação do início ao fim !

Conversando, descobri que todo o trabalho de revisão, edição, diagramação e publicação da trilogia foi feito por ela própria, com recursos próprios,e o quão difícil é apresentar um trabalho  para o mercado editorial. Ela gentilmente respondeu algumas perguntas minhas, e inspirada na sua batalha pessoal para dividir a suas histórias com o público, eu pretendo continuar a entrevistar e aprender mais com outros autores independentes.

 

Conte-nos sobre sua primeira experiência literária /sobre primeiro texto que escreveu.

Na verdade, eu nunca havia escrito nada antes, além de redações na escola. Entre o Amor e o Sacrifício foi a minha primeira obra.

Qual era seu personagem/livro favorito quando criança?

Quando criança, eu não tinha o hábito de ler.

Qual seu hobby favorito?

Ler e escrever. 

Como o fato de ser brasileiro(a) influencia seu modo de escrever? (Você usa cidades brasileiras, nomes típicos, folclore, situações contemporâneas)

Eu moro no sul do Brasil e viajei muito pouco na minha vida. Então prefiro criar mundos e cidades fictícias.

Como é seu processo de escrita? (Você pesquisa? Escreve todo dia? Escrever te deixa exausta ou energizada?)

Geralmente eu me inspiro muito com músicas. Quando tenho tempo, eu escrevo. Escrever faz parte da minha vida, é o ar que eu respiro.

Como lidar com as resenhas ruins?

Resenha é algo muito relativo. Ao mesmo tempo em que pode destacar e valorizar muito uma obra, pode também prejudicar.  Acredito que esse é um dos maiores pesadelos de um autor. Não existe livro ruim, mas sim o público certo. Resenha mal escrita prejudica e desvaloriza o trabalho do escritor. Eu aprendi a lidar com isso, pois cada um tem a sua própria opinião e liberdade para expressá-la.

Qual a maior dificuldade enfrentada  no processo de publicação do seu livro?

Existem muitas dificuldades, é um verdadeiro desafio. É preciso ter tenacidade e acreditar. É raro um autor nacional conseguir um contrato com uma editora comercial. A maioria não aposta no talento de um escritor brasileiro. Mas com a inclusão digital, você tem a liberdade de publicar os livros de maneira independente, no entanto, gera um certo conflito,  pois, sem os recursos necessários, o livro não terá a mesma valorização de um trabalho feito por profissionais dessa área.

Qual estilo literário você não se enxerga escrevendo?

Romance erótico.

Qual livro você acha que merecia mais reconhecimento do público?

É difícil escolher apenas um. Há muitos livros bons que ainda não foram descobertos. Eu recomendo que as pessoas acreditem e deem mais valor aos autores nacionais.

Recomende um autor nacional que precisamos conhecer.

Eu admiro muito a FML Pepper.  Ela merece todo o reconhecimento. Mesmo no início, sem ter o patrocínio de uma editora, ela provou o seu valor e mostrou que autores nacionais também têm talento e que precisam ser valorizados.

 

Ficou curioso para conhecer mais sobre os Guardiões de Orfheus e sobre a Gisele ? Então visite-a usando os links abaixo. Vamos apoiar o trabalho dos autores nacionais que continuam a florescer, apesar dos obstaculos !

Pagina oficial

Instagram oficial

Like & Follow :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *